Blog Lairce Cardoso

Lairce Cardoso

O AMOR VENCENDO PRECONCEITO

10 de novembro

O amor de Fernando & Thaynara vencendo preconceito.

Como contadora de histórias, algumas vezes busco inspiração naqueles que adoram essa arte. Imagino que Jesus, o maior contador de histórias, aproveitava os acontecimentos reais para ensinar através de suas narrativas, conhecidas universalmente como parábolas.

Longe de comparar-me à Ele, mas eu também, busco nos eventos diários os ensinamentos e inspiração para ser quem sou hoje.

Quando noticiei para algumas pessoas que tinha sido convidada para ser madrinha de um casamento espírita, e que me pediram para me vestir de azul para representar Iemanjá, despertei a curiosidade de alguns, mas vi muito nariz torcido, e quase pude ler a mente de outros: “eu não me mexo com essas coisas”.

Embora, não seja totalmente envolvida na religião Umbanda, fiquei imaginando o que teria de tão condenável nessa cerimônia, que eu não pudesse, lá me representar.

E eu vou contar o que eu vi.

Vi uma cerimônia simples, elegante e cheia de amor. Uma cerimônia presidida pelos pais da noiva que falou sobre a importância do companheirismo e da união na vida conjugal.

Vi cantos lindos serem entoados e neles reinarem as palavras amor, caridade e Deus.

Vi homenagens serem prestadas desejando a harmonia, fertilidade e prosperidade do casal.

Vi padrinhos e madrinhas embalando seus afilhados com carinho.  

Vi a noiva emocionada abraçar seus pais, irmã e pessoas queridas.

Vi o noivo. Este um capítulo à parte, com toda sua humildade e simplicidade, pelo menos pra mim, ensinar que ser gente é isso. É ter a alma boa e leve. É ser espontâneo e estar acima do protocolo e das regras. É ser o Fernando.

Vi, Deus abençoando o casal. E, num fim de semana chuvoso, dar uma trégua e deixar fluir uma linda tarde de sol. Imagino que Ele tenha armado a sua tenda para proteger os convidados, já que fornecedor terreno, contratado pelos noivos, não honrou seu compromisso.

Vi a dança divertida e contagiante do buquê da noiva.

Vi abraços, carinhos e muita demonstração de felicidade.  

Vi comida simples mas deliciosa, vi crianças se divertindo, vi pessoas rindo, cantando e dançando alegremente.

E, vi muita gente perder a oportunidade de compartilhar um dia de alegria com pessoas boas. Vi gente perder a oportunidade de ganhar um abraço fraterno, de rir com amigos e de confraternizar com a alegria dos noivos. Vi pessoas perder a oportunidade de desejar ao jovem casal uma vida abençoada e de muito sucesso.  

Vi, também, muita gente perdendo a oportunidade de parabenizar os pais pela boa formação de seus filhos, e dividir com eles a alegria do dever cumprido.

Que pena vi muita gente deixar o preconceito ser maior que o amor.

Mas, também vi o amor vencer lindamente o preconceito, por isso agradeço-te Senhor por eu ter a capacidade de estar acima do prejulgamento e da ignorância, pois assim consigo amar, independentemente da cor, religião e de qualquer outra coisa que me impeça de enxergar primeiro o ser humano, depois as suas escolhas.  

  Quer me conhecer melhor? Assista ao vídeo “Quem sou eu” https://www.laircecardoso.com.br/quem-sou-eu/

Sobre o Autor: Lairce Cardoso
Lairce Cardoso

|

Nasci no berço da família Cardoso, na cidade de Paranapuã, no interior de SP no dia 15 de Julho de 1.963. Sou a nona filha do Senhor Libério e da Dona Lindaura.

Comentários (8)

Thaynara Responder

Tia, que linda história, eu e o Fernando estamos emocionados com suas belas palavras
Estamos contentes pela história linda que escreveu sobre nosso casamento…
Estamos mas feliz por você ter aceitado nosso pedido para ser nossos padrinhos…
Obrigada pelo carinho,amor e as lindas palavras ditas .. nunca irei esquecer de nenhuma palavras ditas em sua homenagem a gente. Te amo

10 de novembro de 2019 at 17:15
Marielly Responder

Haaaa, essa eu tenho que comentar…rsrsrs…o casamento de Thata e Fer foi ímpar, pela simplicidade, elegância e amor que transbordava naquela cerimônia, celebrada por um GRANDE pai. Laurinha minha filha, convidada para ser florista, tamanha felicidade! Pq não seria assim? Pq seria uma cerimônia Umbanda?…a família que Simone e Márcio construíram é um grande exemplo de união e amor entre si. E só tenho a agradecer pelo convite, e agradecer a Deus por me proporcionar momentos lindos cm foi o nosso sábado! Que eles foram especialmente abençoados eu não tenho dúvida, agora meus queridos primos é só seguir o exemplo de seus pais!!!

10 de novembro de 2019 at 17:25
Paula Araujo Responder

Nossa muito legal a história. ???

10 de novembro de 2019 at 18:06
Josiane Responder

Amei as palavras lairce Cardoso bem isso!!!

10 de novembro de 2019 at 19:25
alcir Responder

Foi um casamento muito abençoado. Onde tudo saiu perfeito músicas boas, comida deliciosa e companhias agradaveis. Com certeza vai ficar pra história.

10 de novembro de 2019 at 21:06
Alexandra Cosmo Responder

Que história belíssima Lairce….se as pessoas parassem um pouco para cuidar de si e de suas famílias passando o mínimo de conhecimento do que significado de uma religião por exemplo, talvez não houvesse tanto preconceito como vemos a tantos anos. Cuidar e julgar a vida alheia é mais fácil que transmitir um pouco de amor e carinho independente do que você acredita. Parabéns pelo texto. E muitas felicidades e realizações a esse casal. Que eles possam cuidar um do outro para resto da vida e trazer novos frutos de amor e carinho com seus filhos.

11 de novembro de 2019 at 23:54
Ni... Responder

Nossa!! Esse negócio de preconceito é “puxado”, muito difícil de entender mesmo! Mas quero usar esse espaço pra desejar o melhor pra Thata e o Fernando, que sejam iluminados nessa nova etapa de suas vidas e que venham os bbs, ? ?
FELICIDADES AO CASAL! bjus

12 de novembro de 2019 at 14:54
Simone Responder

Como não comentar tamanha emoção, meu coração parece que estava batendo fora do peito
Em primeiro lugar quero agradecer a Oxalá por tudo.
A Thata nos vez vencer realmente o preconceito, pq até então poucos sabia da minha opção pela a umbanda onde me sinto muito bem, nunca tive vergonha porém sempre tive quieta exatamente por causa do que as pessoas iriam pensar, do que iam falar e no momento em que eles escolheram casar na umbanda sem medo e sem vergonha e nem ao menos se preocupou com que os outros iriam dizer.
Era ali que gostaria de receber a benção e assim foi feito.
Me sinto muito grata por tudo.
A minha religião não muda a pessoa que sou, ela me ensinou a amar e a respeitar as pessoas como elas é, com defeitos e qualidades a final somos filhos de unico Deus.
Gratidão por tudo

21 de novembro de 2019 at 21:07

Deixe uma mensagem

Qual o seu nome?
Preencha com um e-mail válido
O seu endereço de e-mail não será publicado
Digite uma mensagem :)