Blog Lairce Cardoso

Lairce Cardoso

AS HERANÇAS OCULTAS DAS FAMÍLIAS

14 de setembro

De onde vem as heranças ocultas das famílias. Sim, elas existem! E são muitas.

“A vida de todo ser humano está ligado aos antepassados. Se não agradecermos as raízes da vida, seremos como a flor amputada do caule: por mais que seja bela e vistosa, logo murchara e secará” Seicho Taniguchi

4 tipos de tradições familiares que você precisa ter em seu lar | Familia

A ciência explica que recebemos de nossos antecessores a herança genética, mas será que é mesmo só isso que herdamos deles?

Raramente questionamos o quanto a influência de nossas famílias em nossas vidas ou como a criação ou o ambiente que vivemos contribuiu (e continua contribuindo) para nos tornarmos quem somos.

Infelizmente, desconhecemos a poderosa influência dos legados ancestrais em nossas vidas, mas creiam nosso destino está fortemente entrelaçado com o dos nossos antepassados. Embora, não tenhamos conhecimento de tudo, mas os elos consanguíneos são perpétuos, vínculos que não se desfazem com a morte.

Assim, independentemente do que tenha acontecido na nossa história familiar, minha mãe será sempre minha mãe, meu trisavô será sempre meu trisavô. Ao compreender o que acontece em nossa família, é possível sair da escuridão e desfazer muitos “nós” atados há trinta, cinquenta ou há muito mais tempo.

Aqui me refiro a toda a linhagem familiar, desde os ancestrais até os pais. Por mais que tentemos, a olho nú, não conseguiremos enxergar, que nos prende a destinos, até cruéis. É preciso olhar com os olhos da alma.

 Porque podem acreditar, a herança que recebemos de nossos familiares vai muito além da genética. Recebemos deles também habilidades, comportamentos, dores de rejeição, de abandono.  

Uma reflexão

Proponho com esse artigo uma reflexão sobre sua história familiar, pois assim fica mais fácil compreender como essa influência é forte, está ao nosso redor diariamente, mas por falta de conhecimento, ou mesmo por falta de aceitação, não a percebemos.

– Fulano puxou ao avó, tem a cara da mãe, tem o gênio da família. Pois é, também achava que isso era história de rodas de conversas (fui criada em rodas de conversas no terreiro de casa, lá na roça, com meus pais). Hoje até pela minha profissão sei que é muito mais que conversa de marotos no fim da noite.

Quando olho para trás, para minha trajetória de vida e a dos que me rodeiam, consigo observar que determinadas ocorrências da minha história, anteriormente inexplicáveis, passaram a fazer sentido quando analisadas sob a ótica do fator transgeracional, ou seja que diz respeito a diversas gerações. Se, as observo levando em consideração a história dos meus pais e o que isso reverbera na vida do meu filho.

Aos poucos fui percebendo que hábitos, costumes, medos que não entendemos de onde vêm fazem parte do nosso cotidiano e de nossa história.

Poderia aqui, trazer um artigo muito técnico para explicar tudo isso, especialmente diante da área em que atuo, mas por hora, não quero me ater nas questões técnicas, mas sim nas emocionais e no que sentimos perante nossos familiares.

Aceitar a influência dos antepassados

Sánate a ti misma conociendo a tus antepasados | Familias

Aceitar que a influência daqueles que vieram antes de nós é parte de nossa história, nos livra de julgamentos e de muitos pensamentos negativos. Não quero dizer que somos obrigados a aceitar comportamentos ou justificar ações. Mesmo porque, independentemente de qualquer situação sempre temos a possibilidade de escolher, mas nos faz compreender muitas coisas, sentimentos e emoções que existem em nós e que não conseguimos compreender.

É a força dos “nossos” (como dizia minha mãe) permeando por todo o nosso sistema familiar.

Contadora de histórias, que sou, adoro contos histórias e lendas e toda vez que me lembro dessa bem humorada história, entendo com a simplicidade do amor o quanto isso é verdadeiro e real.

A história do peixe frito

“Na casa de um jovem casal, quando se ia preparar a refeição, a esposa sempre cortava a cabeça e o rabo do peixe antes de fritar. No inicio o marido não achou nada de diferente nisso. Talvez fosse apenas uma coincidência. Com o passar do tempo, começou a ficar intrigado: porque será que sua esposa sempre cortava o rabo e a cabeça do peixe antes de fritá-lo.

Um dia perguntou o motivo do costume e ela respondeu:

– Faço assim, porque assim aprendi de minha mãe. Minha mãe sempre cortava a cabeça e o rabo do peixe antes de fritar.

O marido não se deu por satisfeito e esperava a primeira oportunidade para esclarecer com a sogra o costume de cortar o peixe daquela maneira antes de fritar. Não passou muito tempo, estando na casa da sogra, lembrou-se de perguntar o porquê do costume de cortar a cabeça e o rabo do peixe antes de fritar.

A sogra confirmou de que de fato a filha aprendera com ela, mas o porquê ela também não sabia, pois havia aprendido isso de sua própria mãe e nunca tinha perguntando o motivo.

Isso só fez aumentar a curiosidade do rapaz que esperava pela primeira ocasião de encontrar-se com a avó da sua esposa para esclarecer o mistério do porquê se cortar a cabeça e o rabo do peixe antes de fritar.

A avó, porém, morava no interior e distante da cidade onde residia o casal. No final do ano, para as festas de natal, todos viajaram para o interior a fim de visitar a família. Chagando lá, logo no primeiro dia, o rapaz não se conteve e foi logo perguntando para a avó de sua esposa:

Não era um mistério

– Olha, tem um mistério que eu quero desvendar com a senhora nessa visita. A sua neta, quando prepara o peixe, sempre corta a cabeça e o rabo do peixe antes de fritar. Eu perguntei por que e ela disse que aprendeu com a mãe dela. Fui confirmar isso com a sogra e ela disse que aprendeu com a senhora. Por isso, quero saber por que a senhora corta a cabeça e o rabo do peixe antes de fritar.

-Ah! Meu filho – disse a vovó, de fato eu fazia isso mesmo. Sempre cortava a cabeça e o rabo do peixe antes de fritar, pois desde que me casei só tinha uma frigideirinha pequena e eu não me desfaço de minhas coisas, por isso elas duram por anos sem fim, então se não cortasse assim, não cabia o peixe para fritar na minha frigideirinha”.

Quanto tempo dura uma geração? - Jornal Em Foco

Qual a sua história familiar

Essa história me fez pensar nos peixes fritos de minha família, quero dizer em tudo aquilo que fazemos porque aprendemos e nem sabemos o motivo que na vida inteira reproduzimos. Pense nos hábitos e costumes de sua família e veja que provavelmente, também, exista um mistério que os ronda.

Se há algo que o faz limitar na sua vida e você não consegue entender o motivo, provavelmente você deve estar honrando uma herança oculta de sua família. Mas, ainda que não exista nenhuma questão que o incomoda, honrar todos aqueles que vieram antes de nós, traz além de muito sucesso, muita prosperidade, em todos os seguimentos da vida.

Ainda que não tenhamos muitas história que nos orgulhe da nossa ancestralidade, ainda assim, honrá-los fará uma grande diferença. Ao pensarmos que por meio dos tataravós vieram nossos bisavôs, dos nossos bisavôs vieram nos avôs, dos nossos avôs vieram nossos pais e, finalmente por meio deles nós recebemos a vida de presente. Aí , então compreenderemos a grandeza deles em nós.

É por meio dos nossos ancestrais que aqui estamos e nós somos o futuro deles. Pense nisso!

 Honre os seus ancestrais – ORAÇÃO AOS ANTEPASSADOS

“Gratidão queridos pais, avós e demais ancestrais por terem tecido o meu caminho, imensa gratidão pela imensidão dos seus sonhos que, de alguma forma, são hoje a minha realidade.

A partir deste ponto e com muito amor, dou luz à tristeza que houve nas gerações passadas, dou luz à raiva, às partidas prematuras, aos nomes não ditos, aos destinos trágicos.

Dou luz à flecha que cortou caminhos e tornou a calçada mais fácil para nós. E, dou luz à alegria, às histórias repetidas várias vezes.

Também dou luz ao não dito e aos segredos de família e, assim dou luz às histórias de violência e ruptura entre casais, pais e filhos e entre irmãos e que seja o tempo e o amor que volte a unir.

Para que a luz a todas as memórias de limitação e pobreza, desfaça as crenças desestruturantes e negativas que permeiem o meu sistema familiar.

Aqui e agora semeio uma nova esperança, alegria, união, prosperidade, entrega, equilíbrio, ousadia, fé, força, superação, amor, amor e amor.

Que todas as gerações passadas e futuras sejam agora, neste instante cobertas com um arco-íris de luzes que curem e restaurem o corpo, a alma e todos os relacionamentos.

A força e a bênção de cada geração alcance sempre e inunde a geração seguinte. ( Bert Hellinger)

Vida de Maria

Este vídeo nos mostra com muita clareza a força daqueles que vem antes de nós, os nossos antepassados. Vale a pena!

Sobre mim

Sou Terapeuta Complementar e Consteladora Sistêmica e trabalho tanto com crianças e adolescentes quanto com adultos. Como terapeuta meu principal objetivo é contribuir com a melhora comportamental, auxiliando o paciente a encontrar o caminho do autocuidado e autoconhecimento.

Então, se você se percebe que deve dar mais atenção a sua saúde mental e emocional de um modo geral, saiba que a terapia sistêmica é um grande apoio. Especialmente nos processos de autoconhecimento, a terapia poderá te ajudar a ter mais consciência sobre suas questões que causam sofrimentos, recuperando assim seu bem estar, auto estima e, até mesmo o resgate de si mesmo.

Contar com ajuda de um profissional não é sinal de fraqueza, portanto, se você passa por alguma situação difícil neste momento, não se faz necessário passar por tudo sozinho(a). Além disso, a ajuda de um profissional qualificado, poderá te ajudar a atravessar esse processo de maneira mais leve.

Por isso, dê-me a oportunidade de mostrar como a Terapia Sistêmica poderá ajudá-lo nos diversos seguimentos de sua vida. Agende um horário e venha tomar um café comigo, é provável que aqui você se liberte de suas amarras.

Veja também: https://laircecardoso.com.br/pedacos-da-vida/o-amor-incondicional-nao-aceita-tudo/

Para mais dicas me siga no instagram: http://@lairce_cardoso_ofc

Sobre o Autor: Lairce Cardoso

|

Nasci no berço da família Cardoso, na cidade de Paranapuã, no interior de SP no dia 15 de Julho de 1.963. Sou a nona filha do Senhor Libério e da Dona Lindaura.

Deixe uma mensagem

Qual o seu nome?
Preencha com um e-mail válido
O seu endereço de e-mail não será publicado
Digite uma mensagem :)