Blog Lairce Cardoso

Lairce Cardoso

O DIA DO FATÍDICO ENCONTRO

31 de janeiro

Chegou o dia do fatídico encontro. Sentada no banco do passageiro Larissa conter a emoção, mas era em vão e com os nervos à flor da pele não conseguia pronunciar qualquer palavra e seguia silenciosa.

Várias estratégias foram meticulosamente estudadas e a decisão de abordar o casal em espaço público foi unânime, pois entendiam que o risco era bem menor se todos estivessem em terreno neutro por isso a tocaia foi montada e se Genaro aparecesse no lugar escolhido, cedo ou tarde, eles o encontrariam. O casal não iria querer envolver-se em escândalos, deste modo, o acordo seria rápido e tranquilo. Essa era a expectativa.

O local escolhido para o encontro e a negociação foi um restaurante que o casal frequentava constantemente e a abordagem foi estudada e ensaiada nos mínimos detalhes.

Passava das treze horas quando Genaro entregou a chave do carro ao manobrista e elegantemente conduziu a esposa para o interior do recinto.

– Agora, entendi o porquê da escolha. De fato, o rapaz é um macho e tanto, isso não se pode negar. Disse Marion.

– Sei muito bem disso, mas não viemos aqui para admirá-lo e vamos focar no que interessa. Respondeu Larissa muito irritada.

– Sábia observação – disse Rodolfo. Mesmo porque se começarem com aquele disse me disse de sempre vou largá-las aqui porque não estou com a menor paciência para as gracinhas de nenhuma das duas.

– Nossa Senhora! Você deve ter passado na fila do mau humor umas quinhentas vezes no dia em que nasceu. Tudo bem que a situação é tensa, mas não dá para aliviar um pouco, meu irmão?

Rodolfo nada respondeu e em silêncio desceu do carro e abriu a porta para Marion.

– Se cada um fizer sua parte como combinado tudo será mais fácil e rápido. Resmungou e se pôs a andar em direção ao restaurante sem esperar pela irmã, que teve que apressar o passo para acompanha-lo.

Larissa prendeu a respiração, quando os viu sumirem na porta de entrada do estabelecimento. Tudo precisava ser perfeito.

Os minutos seguintes pareceram uma eternidade e com o coração aos pulos Larissa abriu a porta do carro e um tanto hesitante, mas respirando fundo para manter-se calma caminhou lentamente em direção ao restaurante.

– Deus! Que tudo esteja conforme o combinado. Pensou e entrou rapidamente no restaurante, antes que perdesse a coragem.

Avistou Rodolfo e a irmã conversando animadamente numa mesa à frente da mesa de Genaro e a esposa, como tinham meticulosamente planejado. Marion tinha razão quando a descreveu porque Gabriela era mesmo uma belíssima mulher e o olhar de encantamento que devotava ao marido não deixava dúvidas: ela era perdidamente apaixonada por ele.

Um pouco indecisa pensou que talvez a escolha da estratégia para a execução do plano tivesse sido um erro, mas rapidamente mudou de opinião quando a viu totalmente embebecida pelo olhar de Genaro e teve de que estavam no caminho certo, pois ela faria qualquer coisa para defendê-lo.

 Respirou fundo e mais uma vez tratou de se acalmar, além disso já era tarde para arrependimentos e o jeito era seguir com o planejado.

Larissa aprumou-se e caminhou em direção à mesa de Genaro. Embora, parecesse caminhar com segurança, experimentou numa fração de segundos uma centena de sentimentos. Sentiu que os lábios ficaram ressecados e as maçãs do rosto pegou fogo e depois congelaram.

 Se pudesse veria que o rosto mudou da vermelhidão da euforia para a palidez do medo e a tensão fez seu estômago revirar e as suas pernas bambearam, mas ela reuniu todas as forças e se manteve firme porque ão poderia cometer erros.

Genaro percebeu a presença de Larissa e ela vislumbrou o seu embaraço. Os mesmos sentimentos que ela sentiu no instante anterior agora eram visíveis do rosto de seu algoz e quase pode sentir o coração do rapaz pulsando dentro do seu peito, tamanho o medo que sentiu ao vê-la a metros de distância.

Embora, por motivos diferentes, havia tanta fúria naquela troca de olhar que Larissa tinha a impressão que ele a atacaria a qualquer momento, em razão do estado de alerta que se posicionou mediante a ameaça a alguns metros bem à sua frente.

Larissa continuou a caminhar firme, ainda que sentisse que se tivesse que andar por mais um metro, provavelmente não conseguiria se manter em pé. Ao se aproximar de Genaro, que não tirou os olhos dela, olhou-o com tanta firmeza no olhar, que primeira vez pode ver o medo estampado no seu rosto, ao contrário, da altivez de outrora.

Depois desviou seu caminho e passou pela mesa do casal saindo para um espaço externo do restaurante e, imediatamente procurou uma cadeira para se acomodar e só então, voltou a respirar novamente. Tinha a impressão que iria desmaiar por causa adrenalina que vivenciara.

– Você está bem meu amor? Genaro? Estou falando com você.

O rapaz olhou assustado para a esposa e com as mãos trêmulas levou o copo de bebida à boca para molhar a garganta que secara completamente.

– Meu Deus! Está pálido e parece que viu um fantasma. Que houve, meu amor, não está se sentindo bem?

– Não é nada minha querida, não se preocupe eu senti um leve mal estar, deve ser o calor dessa cidade. Você sabe que ainda não me acostumei a temperatura desse lugar, disse tentando disfarçar a confusão que se formara dentro dele.

– Dê-me licença um minuto, pois vou tomar um ar rapidamente e já volto. Se importa?

– Claro que não! Fique à vontade. Vou aproveitar para cumprimentar um amiga que avistei ao chegar. Nos encontramos em um minuto, pode ser?

Genaro concordou com um meneio de cabeça e no instante depois estava na frente de Larissa. Agora, tinha no olhar um ar ameaçador que Larissa nunca presenciara. Mas ainda trêmula mante-se obstinada a seguir com seu plano porque sabia que ali, ele não tentaria nada contra ela, além disso tinha os amigos a protegê-la.

– O que faz aqui? Como me encontrou? Perguntou a queima-roupa logo que chegou na presença da moça.

– O que nós fazemos aqui? Disse Larissa colocando a mão sobre a barriga. Tinha que ser rápida pois sabia que tinha pouco tempo e não poderia perder aquela oportunidade.

– O que está querendo me dizer, sua vadia? Saia daqui imediatamente antes que eu me aborreça. Genaro estava muito irritado e precisou se conter para não fazer uma bobagem.

Larissa a olhou com a firmeza de uma leoa e nunca sentiu tanto ódio de alguém como naquele momento. Não permitiria que a tratasse daquela maneira.

– Vadia? Como ousas me tratar assim? Não vim atrapalhar sua vida, mas se assim quiser posso fazer um belo estrago nesse seu romancezinho barato, porque seu sei muito bem o quanto é especialista na arte de seduzir. Duvidas disso?

– Como me encontrou? Não leu a carta que te escrevi? Expliquei tudo lá, eu não podia me comprometer com você, ainda que eu quisesse, porque meu coração já tem dona. Ela é e será sempre a mulher da minha vida. Sinto muito. Falou Genaro tentando acalmar Larissa. Era esperto demais para saber que ali não era um bom local para testá-la e depois se o havia encontrado, ela não era tão estupida como imaginara.

– Nossa! Quase me levou aos prantos. Recebi sua carta, sim, mas não a li e se quer mesmo saber, nada do que tivesse dito naquele papel justifica sua atitude covarde.

– Não vou ficar aqui discutindo com você nosso estúpido passado, eu preciso voltar para minha esposa. Fale logo, o que quer pois não tenho muito tempo pra você? Disse Genaro, ao avistar Gabriela retornando à mesa do casal e ele sabia que se não o encontrasse, procuraria por ele e o que iria falar se Larissa resolvesse fazer algum escândalo. Precisava agir rapidamente.

– Bom se não entendeu ou está fingindo que não entendeu, falarei claramente para que não tenha dúvidas. Estou grávida e preciso de ajuda para cuidar dessa criança porque não tenho como sustentá-la sozinha.

– Não soube de nada disso e se for mesmo verdade que está grávida como provará que este filho é meu?

– Não se faça de rogado Genaro. Por favor não me subestime achando que é o único ser humano pensante no planeta terra.

– Verdade, esqueço que você já deu muitas provas de sua esperteza. Diga-me onde posso te encontrar para conversarmos com mais calma, pois aqui não é o lugar apropriado para essa conversa.

– Para você, talvez não, mas pra mim é o lugar perfeito. Mas não vou deixar sua doce esposa preocupada porque Preocupação em demasia não é um sentimento muito adequado para uma mulher grávida, não é mesmo?

– Do que você falando? Larissa pense bem no que está fazendo porque não permitirei que se intrometa em minha vida.

– Já disse e vou repetir novamente, não me subestime. O fará sua querida esposa ao descobrir que o marido será pai de mais um filho além do que ela traz na barriga. Disse encarando Genaro que corou de raiva ao encará-la de volta. 

– Genaro?

Ele quase teve uma sincope ao ouvir a voz da esposa à suas costas.

– Olá meu bem. Disse meio sem saber o que falar.

– Ah! Meu Deus, você deve ser Gabriela é esse o nome de sua esposa, não é? Perguntou Larissa e sem esperar a resposta de Genaro continuou a falar sem parar, diante do olhar perplexo do rapaz.

– Imagina que sai para tomar um pouco de ar porque estava muito abafado lá dentro e sentei-me aqui para descansar um pouco e quando fui levantar para retornar à mesa dos meus amigos,tive uma vertigem, por causa da gravidez e seu marido amparou-me evitando que eu tivesse uma queda. Graças a Deus ele estava passando por aqui, naquele exato momento.

– Nossa que perigo! Mas você está se sentindo bem? Gabriela perguntou preocupada.

– Estou sim! Muito obrigada. Seu gentil marido estava me contando que também está esperando um filho. Falou-me de você, de um jeito tão apaixonado que até senti uma pontinha de inveja. Perdoe-me!

Gabriela sentindo-se envaidecida com o comentário abriu um belo sorriso para a simpática estranha e não tardou a confessar seus segredos.

– Verdade! Ele é um gentleman! Por isso não perdi tempo em conquistá-lo. Estamos casados a pouco tempo e já seremos papais. Ele não quis esperar muito e convenceu-me. Coisas do coração. Sabe como é, não é mesmo?  Perguntou sorridente.

–  Claro que sim, sei muito bem. Larissa Respondeu, devolvendo-lhe o sorriso.

– Mas onde está seu marido? Quer que o chame?

– Ah! Ele está ausente por motivos de força maior e está viajando, mas não tardará a me encontrar, irei ao encontro dele ainda está semana.

Disse olhando firme para Genaro e depois retornou o olhar docemente para Gabriela.  – Mas estou aqui com uns amigos, viemos para almoçar. Imagina meu papelão largando-os à mesa desse jeito. Se me permitirem, aproveitarei a companhia de vocês para retornar ao restaurante.

– Claro, disse Gabriela. Por favor, querido ajude-a. Venha, vamos conduzi-la até seus amigos

Genaro ofereceu o braço para Larissa, mas a fuzilou de um jeito que ela quase sentiu medo, mas estava segura, pelo menos naquele momento. Ela aceitou o braço oferecido e os três retornaram para o interior do estabelecimento.

Marion e Rodolfo assistiam incrédulos a aproximação de Larissa apoiada no braço de Genaro a trocar confidências e sorrisos com Gabriela.

– Mas olha só – disse Marion, entre os dentes. A moçoila é ladina mesmo. Quem diria?

– Mas que coincidência estamos acomodados na mesa da frente. É nossa mesa preferida porque é um lugar muito especial pra nós pois nos conhecemos aqui. E, desde o primeiro dia que trocamos nosso primeiro olhar nunca mais nos separamos. Acredita?

Larissa ia responder, mas foi rapidamente interrompida por Genaro.

– Querida, por favor, acredito que a senhora está cansada e depois nem almoçamos ainda.

– Ai me desculpa, minha querida! Disse Larissa. Estamos aqui de papo e você nem almoçou ainda, por favor, isso não fará bem a você . Tenho certeza que nos encontraremos aqui novamente, aqui também é o lugar favorito meu e de meu marido e também já estamos de saída, não é meninos? Disse olhando para os dois que estava boquiabertos na mesa.

– Sim – respondeu rapidamente Rodolfo. Já estávamos indo procurá-la, mas vejo que se arrumou muito bem.

– Pois é! Ainda existem cavalheiros nessa terra. Este gentil senhor me ajudou, mas depois conto em detalhes. Agora se nos dão licença -disse voltando para Genaro e Gabriela – estávamos mesmo de saída. E mais uma vez, muito obrigada pela presteza. Tenho certeza que nos encontraremos novamente.

– Será um grande prazer – Respondeu rapidamente Gabriela ao ser quase que empurrada por Genaro para que voltasse a mesa do casal, antevendo a cena de troca de beijinhos. Aquilo seria demais para ele.

Já do lado de fora do restaurante não aguentando a curiosidade , Marion quis saber todos os detalhes, pois não imaginava que Larissa fosse tão ardilosa.

-Como descobriu que a mulher também estava grávida ?

– Golpe de sorte! Joguei verde e colhi maduro. Sorriu Larissa.

Capítulo XV – Dia do Fatídico Encontro

Veja o capítulo XVI – Ataque covarde a Larissa e ao filho https://www.laircecardoso.com.br/romanceando/ataque-covarde-contra-larissa-e-o-filho/

Sobre o Autor: Lairce Cardoso

|

Nasci no berço da família Cardoso, na cidade de Paranapuã, no interior de SP no dia 15 de Julho de 1.963. Sou a nona filha do Senhor Libério e da Dona Lindaura.

Deixe uma mensagem

Qual o seu nome?
Preencha com um e-mail válido
O seu endereço de e-mail não será publicado
Digite uma mensagem :)