Blog Lairce Cardoso

Lairce Cardoso

PORQUE A VIDA VALE A PENA!

18 de novembro

ACOLHA A VIDA: PORQUE A VIDA SEMPRE VALE A PENA!

Assim é a vida… Daqui a pouco a página vira, o cenário muda. Novos ventos, nova brisa, novos ares, novos mares. Infelizmente, alguns se perdem na dificuldade de virar a página, mudar o cenários e deixar novos ventos e novos ares chegarem.

Tentando encurtar o caminho, num ato de total desespero, atentam contra a própria vida, embora o que os suicidas tentam, na verdade, é acabar com a dor e não pôr fim a vida! 

Inteligência artificial identifica pensamentos suicidas | VEJA

O suicídio é um fenômeno complexo, multifacetado e de múltiplas determinações, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero.

Mas o suicídio pode ser prevenido!

Saber reconhecer os sinais de alerta em si mesmo ou em alguém próximo a você pode ser o primeiro e mais importante passo.

Por isso, fique atento(a) se a pessoa demonstra comportamento suicida e procure ajudá-la.

A decisão de pôr um fim na própria vida, pode acontecer como resultado de conflitos internos acontecidos ao longo da vida. Normalmente arrastada através de transtornos como depressão, bipolaridade, abuso de substâncias tóxicas e traumas emocionais, por exemplo.

O movimento suicida divide-se em 3 momentos: pensar em suicídio, tentativa de suicídio e consumação do ato. Na verdade, os suicidas querem apenas acabar com a dor.

Atentar contra a vida é seu último recurso, já que acreditam que não existem soluções para os seus problemas.  

O desequilíbrio emocional, são os primeiros sinais que a vida dessa pessoa está em perigo, que, infelizmente pode passar despercebido por familiares e amigos.

Algumas causas que contribuem com os pensamentos e as tentativas de suicídio:

DEPRESSÃO

A depressão é uma das principais causas de suicídio, isso porque os sentimentos de solidão e tristeza são muito intensos, assim como a sensação de que esse sentimento nunca terá fim, parece não haver solução.

A fé vai se esgotando, as energias vão minguando aumentando as possibilidades de desencadear pensamentos suicidas, como única forma de pôr fim a esse sofrimento.

Como agir: é importante que exista o apoio de um profissional especializado, como terapeuta, psicólogo, psiquiatra, para que seja possível tratar a depressão. Em alguns casos, o psiquiatra pode indicar o uso de alguns medicamentos para depressão.

Além disso o apoio dos familiares, amigos e até mesmo grupos de auto ajuda, são essenciais a fim de promover a qualidade de vida da pessoa.

PROBLEMAS FAMILIARES OU RELACIONAMENTOS AFETIVOS

Problemas familiares como perda dos pais, separação, frequentes brigas e discussões, falta de espaço dentro de casa para expressar suas emoções ou não se sentir amado e compreendido pelo companheiro no relacionamento.

Esses fatores causam muita angústia, o que pode levar a pessoa a pensar em suicídio.

O que fazer: encontrar tempo para conversar de forma calma e ponderada e proporcionar um ambiente de equilíbrio dentro de casa ou dentro do relacionamento amoroso, podem ajudar a pessoa a se sentir melhor.

Mais importante do que apontar os erros do outro, é expressar os sentimentos com calma e sem julgamentos, mostrando apenas que quer ser compreendido.

Não hesite se precisar de um profissional para auxiliar nas tratativas dessas questões pois elas devem ser resolvidas externamente com as pessoas que provocam tais situações.

O controle emocional só e dará quando essas dores forem resolvidas com ela mesmo.

Por isso é muito importante que a pessoa busque o autoconhecimento para se libertar desses sentimentos, caso contrário, na primeira recaída irá voltar aos pensamentos autodestrutivos, como um ciclo vicioso.

ABUSO DE ÁLCOOL OU DROGAS

Uso de Cannabis pode aumentar pensamentos suicidas em jovens – UNIAD –  Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas

O alcoolismo e o uso de drogas também favorece o suicídio.

Isso porque na maioria dos casos o abuso dessas substâncias acontece como forma de “esquecer” os problemas.

Em especial se a pessoa estiver passando por momentos de angústia ou frustração.

Além disso, a atuação nestas substâncias no cérebro modifica as funções cerebrais, o estado de consciência e o pensamento, favorecendo as ideias autodestrutivas.

E agora: em caso de vício o mais indicado é buscar tratamento contra dependência química.

Se o uso destas substâncias é esporádico ou recente, pode ser possível deixar de usar, sem ser necessário internamento. Ocupar o tempo com atividades ao ar livre pode ajudar a distrair a mente.

No entanto, enfatizo que quaisquer que sejam as causas, a solução está sempre no tratamento na raiz das questões. Para que a pessoa, tome a consciência do que a leva a este estado de dependência. O essencial conhecer os motivos por trás desse comportamento.

Todo excesso esconde uma falta, sendo assim, o que está por trás do abuso de drogas ou de álcool? O que o levou a esta dependência?

Resolva a raiz da questão e o mal será eliminado, ou seja, resolva a dor que o suicídio deixará de ser visto como solução.

BULLYNG

bullying acontece quando outras pessoas denigrem a imagem do outro ou até mesmo agridem fisicamente a vítima que se sente indefesa, sendo esta uma situação comum na infância e na adolescência, embora seja crime.

O bullying faz com que a pessoa se sinta angustiada e insegura, provocando pensamentos negativos e aí, neste interim poderá surgir os pensamentos autodestrutivos e os suicidas.

O que fazer: Situações de bullying acontece em qualquer lugar e com qualquer pessoa. Nas escolas, os casos são muito recorrentes.

É importante que, os pais ou responsáveis informem na instituição de educação sobre o bullying para que sejam possíveis adotar estratégias que evitem essa prática.

Um parenteses, para ser levado em consideração: Não é a escola que ensina o comportamento às crianças, mas estas que levam os comportamentos aprendidos em casa.

Por isso pais, se querem uma vida saudável dos seus filhos, reveja a rotina familiar que está criança está inserida. Essa atitude poderá fazer muita diferença, tanto para as crianças quanto para os pais.

Aqui a história não é diferente, é importante que a pessoa vítima de bullying seja acompanhada por um profissional especializado.

Assim é possível descobrir as causas que o coloca aberto ao bullyng e, novamente a solução está em eliminar a raiz da questão.

TRAUMAS EMOCIONAIS

Ter sido vítima de um abuso sexual ou maus tratos são fatores que favorecem os pensamentos suicidas, porque a pessoa sente-se encurralada pelos problemas e não consegue lidar com a dor que sente diariamente.

Com o passar do tempo, se a dor não diminui, a tendência é que se sentir deprimido, favorecendo os pensamentos suicidas.

Como resolver: os traumas emocionais devem ser tratados com o acompanhamento de profissionais especializados que o façam se libertar dessa dor, especialmente ajudando-o a compreender que o desajuste emocional está no abusador e não nele.

Para isso o ideal é ter o acompanhamento de um profissional de sua confiança. Os medicamentos poderão ajudá-lo no processo, mas isso não deve ser o único procedimento a ser feito.

DIAGNÓSTICOS DE DOENÇAS

No diagnóstico de alguma doença que seja mais limitante, como alterações neurológicas, tumores, esclerose múltipla ou doenças que não têm cura, e infecção pelo vírus HIV, por exemplo, algumas pessoas podem ficar muito angustiadas e pensando apenas no lado negativo .

Nesses momentos, pode-se abrir uma grande brecha para pensamentos suicidas.

Como ajudar:  importante ter apoio terapêuticos ou psicológico após o diagnóstico da doença, pois assim é possível lidar melhor com a situação, além é claro, de ser fundamental seguir o tratamento recomendado pelo médico na busca da qualidade de saúde.

Pensamentos e sentimentos de querer acabar com a própria vida podem ser insuportáveis e pode ser muito difícil saber o que fazer e como superar esses sentimentos, mas existe ajuda disponível.

Não hesite em pedir ajuda, pra começar converse com alguém de sua confiança, provavelmente ele te auxiliará a encontrar a ajuda certa.

 

COMO POSSO AJUDAR

Mitos sobre suicídio e como ajudar alguém com pensamentos suicidas

Se conhece, convive com pessoas com pensamentos suicidas:

  • Encontre um momento apropriado e um lugar calmo para falar sobre suicídio com essa pessoa.
  • Deixe-a saber que você está lá para ouvir, ouça-a com a mente aberta e ofereça seu apoio;
  • Incentive a pessoa a procurar ajuda de profissionais de serviços de saúde, especialmente mental.
  • Se puder, ofereça para acompanhá-la a um atendimento;
  • Não a deixe sozinha.
  • Procure ajuda de profissionais de serviços de saúde, de emergência e entre em contato com alguém de confiança, indicado pela própria pessoa;
  • Se a pessoa vive com você, assegure-se de que ele(a) não tenha acesso a meios para provocar a própria morte (por exemplo, pesticidas, armas de fogo ou medicamentos) em casa;
  • Fique em contato para acompanhar como a pessoa está passando e o que está fazendo.

FAMILIARES E AMIGOS: ATENÇÃO

Não há uma “receita” para detectar seguramente quando uma pessoa está vivenciando uma crise suicida, nem se tem algum tipo de tendência suicida.

Entretanto, um indivíduo em sofrimento pode dar certos sinais, que devem chamar a atenção de seus familiares e amigos próximos, sobretudo se muitos desses sinais se manifestam ao mesmo tempo.

Essas manifestações não devem ser interpretadas como ameaças nem como chantagens emocionais, mas sim como avisos de alerta para um risco real.
Fique de olho, no aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas.

Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança.

Suicidas costumam falar sobre morte e suicídio mais do que o comum. Se sentem sem esperanças, culpadas, com falta de autoestima e têm visão negativa de sua vida e futuro.

Essas ideias podem estar expressas de forma escrita, verbal ou por meio de desenhos, ou ainda nas expressões de ideias ou de intenções suicidas, como por exemplo:

“Vou desaparecer.” “Vou deixar vocês em paz.” “Eu queria poder dormir e nunca mais acordar.”
“É inútil tentar fazer algo para mudar, eu só quero me matar.”

Fiquem atentos para comentários desse tipo. Pode parecer óbvio, mas muitas vezes são ignorados e, poderia salvar uma vida.

ISOLAMENTO

Suicidas tendem a se isolar, não atendem telefonemas, não interagem nas redes sociais. Querem fica em casa ou fechadas em seus quartos, reduzindo ou cancelando todas as atividades sociais, principalmente aquelas que costumavam e gostavam de fazer.

Esses são os primeiros sinais que está intencionando por um fim na sua razão de existir.

Importante: Não considere essas movimentações isoladamente. Na dúvida peça ajuda.  

Onde buscar ajuda pública para prevenir o suicídio?

Quem tem medo de falar de suicídio na escola?

CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde).

UPA 24H, SAMU 192, Proto Socorro; Hospitais

Centro de Valorização da Vida – 188 (ligação gratuita)

Centro de Valorização da Vida – CVV

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente.

Todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias.

A ligação para o CVV em parceria com o SUS, por meio do número 188, são gratuitas a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular.

Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais informações sobre ligação gratuita.

Um pouquinho sobre mim

Depois de atravessar uma fase muito delicada, em todos os setores meu viver, a vida me deu uma grande chacoalhada do tipo: acorda, você tem muito potencial para viver na invisibilidade.

Por fim, depois de uma faxina muito grande na minha pessoa, e de decisões difíceis e doloridas mas, absurdamente necessárias, surgiu uma nova mulher chamada Lairce.

Uma mulher que resolveu reinventar-se aos cinquenta e seis anos de idade, física, mental e psicologicamente.

Uma mulher que aprendeu que priorizar a necessidade de ser feliz, não é egoísmo, é vida!

Conto um pouquinho desses sentimentos malucos que tomaram conta de minha mente, nesta matéria que está aqui no blog https://laircecardoso.com.br/pedacos-da-vida/a-coragem-de-ser-imperfeita/

Ajustando o meu propósito de vida

Atualmente sou Terapeuta Complementar e Consteladora Sistêmica e trabalho tanto com crianças e adolescentes quanto com adultos.

Como terapeuta meu principal objetivo é contribuir com a melhora comportamental, auxiliando o paciente a encontrar o caminho do autocuidado e autoconhecimento.

Então, se você se percebe que deve dar mais atenção a sua saúde mental e emocional de um modo geral, saiba que a terapia sistêmica é um grande apoio.

Especialmente nos processos de autoconhecimento, a terapia poderá te ajudar a ter mais consciência sobre suas questões que causam sofrimentos, recuperando assim seu bem estar, auto estima e, até mesmo o resgate de si mesmo.

Ademais, contar com ajuda de um profissional não é sinal de fraqueza, portanto, se você passa por alguma situação difícil neste momento, não se faz necessário passar por tudo sozinho(a).

Além disso, a ajuda de um profissional qualificado, poderá te ajudar a atravessar esse processo de maneira mais leve.

Por isso, dê-me a oportunidade de mostrar como a Terapia Sistêmica poderá ajudá-lo nos diversos seguimentos de sua vida.

Agende um horário e venha tomar um café comigo, é provável que aqui você se liberte de suas amarras.

PARA MAIS DICAS SIGA-ME NO INSTAGRAM: http://instagram.com/lairce_cardoso_ofc

Sobre o Autor: Lairce Cardoso

|

Nasci no berço da família Cardoso, na cidade de Paranapuã, no interior de SP no dia 15 de Julho de 1.963. Sou a nona filha do Senhor Libério e da Dona Lindaura.

Deixe uma mensagem

Qual o seu nome?
Preencha com um e-mail válido
O seu endereço de e-mail não será publicado
Digite uma mensagem :)