Blog Lairce Cardoso

Lairce Cardoso

PERDÃO É ALÍVIO DA ALMA

9 de novembro


No ato de perdoar, toda energia pesada que envolvia a situação se dissolve e tudo ao redor passa a ser envolto por uma energia mais leve e rarefeita, por isso é libertador. No ato de perdoar o sofrimento passa a ser apenas um aprendizado e, não mais um sentimento de dor, raiva ou ódio, tudo passará a ser apenas uma lembrança, que aos poucos também não existira mais pois, também, irá se dissolvendo.

Perdoar é possível: entender por que perdoar nos ajuda neste desafio

A importância do perdão

O ato de perdoar é importante, muito mais para quem perdoa que para quem é perdoado. Perdoar te livra de maus sentimentos como o rancor, a raiva e a vingança.  O perdão é uma oportunidade para se libertar de amarras negativas de acontecimentos do passado e seguir adiante. Sendo assim, perdoar é uma ação libertadora que simboliza a inteligência e permite o amadurecimento de uma pessoa. Não perdoar impede a chance de viver novas possibilidades e ter mais satisfação na vida pessoal.

O poder do perdão

Perdoar não é sinônimo de esquecimento. Perdoar não é esquecer, mas é não sofrer, não se magoar mais quando se lembra do fato ocorrido. Perdoar é relembrar sem sofrimento, sem dor, mágoa ou raiva, qualquer que seja o fato que te feriu.

Por isso mesmo o perdão é muito mais que esquecimento. Perdão é transmutação, perdão é o alívio para a alma, o ato de perdoar é libertador.

O perdão é essencial para uma vida mais leve

Relacionar-se é exigente! Qualquer tipo de relacionamento exige um sair de si mesmo, constantemente, para estar em sintonia com o outro. É por isso que em momentos de conflitos sentimentos desagradáveis, que ficam escondidos podem surgir e, por vezes se tem algum laço amargo nesse relacionamento, a tendência é criar feridas que se tornam difíceis de serem cicatrizadas.

Esses sentimentos têm poder de destruição; são capazes de desenvolver doenças que nem imaginamos. Problemas cardíacos, úlcera, depressão, nódulos e até mesmo tumor. São doenças físicas, que podem ter como origem a dificuldade de perdoar. É como se a pessoa “implodisse”, ou seja, explodisse para dentro dela mesma, por não conseguir liberar o perdão.

O que nos destrói são os sentimentos ruins, como a mágoa ou o ressentimento, não o perdão. Perdoar é a única via de libertação para que a mágoa ou o ressentimento não se tornem tão nocivos a ponto de te destruir.

Por que é tão difícil pedir perdão? Veja como se desculpar direito -  27/02/2019 - UOL VivaBem

O falso perdão

Quando ignoramos nosso sentimento, passamos por cima e colocamos no seu lugar qualquer outro sentimento nocivo, e assim quando não resolvemos questões pendentes, é como se empurrássemos a sujeira para debaixo do tapete.

O fato de reconciliar com uma pessoa, apenas por comodismo ou porque entendemos que isso é o melhor a se fazer, apesar de continuar a carregar dentro de si a mágoa, não desfaz o nó, e se não foi desatado ele continua ali, dentro de nós, causando estragos, sendo impossível, então experimentar, a verdadeira liberdade que o perdão traz.

Fingir que está tudo bem, mas continuar com esse peso dentro de você, pode trazer ainda mais dores.  Percebe o seu tempo, peça ajuda se preciso for, mas libere totalmente o mal que está dentro de você, caso contrário só estará enganando a você mesmo.

O verdadeiro perdão muda sua perspectiva e realmente te liberta para que possa criar uma vida mais feliz. Você se sente leve, e não possui nenhuma reação negativa ao lembrar ou ver a pessoa que você perdoou.

Reconciliação

Antes de mais nada, é bom entender que reconciliação não tem nada a ver com perdão. É possível perdoar sem reconciliar e reconciliar sem perdoar.

O perdão é como desistir do desejo de punir, já a reconciliação é a decisão de manter um contato com a pessoa que te feriu.

O perdão é incondicional e involuntário, por isso mesmo não depende de mais nada além da vontade de perdoar, a reconciliação, por sua vez depende, muitas vezes, de condições que nem sempre são possíveis.

Portanto o ato de perdoar não te obriga, necessariamente a se reconciliar com a pessoa, se assim não desejar. Perdoar não significa a obrigação de conviver ou ter qualquer tipo de relação com o outro.

Isso muitas vezes, se torna um impedimento de perdoar: a sensação de que perdoar é ter que conviver com aquela pessoa novamente, e isso não é verdade.

Mesmo porque, o ato de reconciliar, pode sim ser muito difícil, pois você se ter se machucado e o receio que isso aconteça novamente te paralisa. Então apenas perdoe e, deixe que o outro resolve as suas questões. Perdoar não é trazer pra si as questões do outro, isso deve ser resolvido pelo outro. Deixe com você o que é seu e, com o outro, o que é dele.  

Caso seja muito difícil para você se reconciliar e perdoar, permita viver o seu momento. Você poderá precisar de algum tempo para recobrar sua confiança e desenvolver um sentimento mais íntimo de proximidade.  Só não adie a decisão de perdoar indefinidamente, o quanto antes melhor, tendo em vista que o perdão é o alívio para sua alma. O outro deve por ele mesmo, redimir dos seus erros, isso não é tarefa sua.

Motivos para perdoar

Existem muitas razões para perdoar. Sentimentos como a mágoa e o ressentimento são cansativos tanto mentalmente quanto fisicamente, levando o ser humano à insônia, ao estresse e à depressão.  Por isso, perdoar:

  • Faz bem a você mesmo, pois você deixa de se concentrar excessivamente em suas mágoas e consegue focar mais em coisas positivas para si;
  • Tira um peso das suas costas, já que acaba com o estresse gerado pela ofensa de outrem;
  • Oferece uma visão correta dos acontecimentos, pois permite que você analise os fatos com olhos desanuviados, sem ódio e imaturidade;
  • Dá a chance de viver novas possibilidades. Você sente-se mais livre para abraçar o mundo e viver sem medo de confiar nos outros novamente.

Existem algumas técnicas que auxiliam para liberar o perdão, como por exemplo:

 

 

3 passos para um pedido genuíno de desculpas | Familia

Mude sua atitude com relação ao passado

Parece estranho, mas essa é uma poderosa ferramenta de cura. Toda pessoa poderá usar. E, como funciona?

Só para exemplificar, digamos que tenha acontecido um fato ruim ou traumático no passado. Pare e pense com muitas honestidade sobre isso, pois irá ajuda-lo(a). Pergunte-se a si mesmo: Qual foi seu sentimento? O que você pensou naquela hora? Como você agiu naquele momento? O modo como você pensou sentiu e agiu no passado continua reverberando por todo o tempo até os dias presentes. Não importa se isso aconteceu quando você tinha cinco, dez, quinze anos de idade ou ontem. É a mesma coisa.

O passado continua vivo dentro de cada um, tanto quanto o presente, pulsando e influenciando os dias atuais. Se não for corrigido irá também influenciar no futuro, até que toda essa questão seja equilibrada.

Como fazer isso?

Feche os olhos, eleve sua consciência acima de suas convicções que te limitam e retorne ao passado. Volte no momento em que você sentiu, agiu e tomou uma decisão com relação aquele fato e refaça a sua atitude com relação aquele fato. É claro, que você não tem ação sobre o fato em si. O fato não muda, ele está sacramentado, mas ao mudar o seu posicionamento com relação à forma como você pensou, irá te libertar de carregar sobre seus essa dor. Deixe com o outro o peso desse fardo, liberte-se dele.

É bem possível que naquele momento tenha odiado a pessoa e, desejado que isso fosse para sempre, ou então pensado não ser mais possível confiar nas pessoas. Pode ser que até tenha esquecido disso, no entanto, esse ódio declarado está repercutindo e moldando sua vida nos tempos atuais.

Então volte lá, nesse passado que continua vivo e tenha para com ele uma atitude de compreensão, uma atitude benevolente de compaixão e de perdão. Deixe o ego de lado e se a pessoa te agrediu, traiu, roubou, não importa, o problema é dela. A partir do momento que você se envolve emocionalmente, você está pegando esse problema que é dela pra você. Voluntariamente você está se contaminando com um problema, um sentimento de baixa vibração que é da pessoa e não seu.

Quando você troca sua atitude lá no passado, troca o que sentiu. Toda sua vida começa a ser refeita em função da mudança que você teve. Na pratica aquele passado em que você reagiu negativamente não existe mais. Você mudou o passado. Agora existe um novo passado em andamento, e em determinado momento toda essa energia que está sendo recalculada chega até você, digamos no presente.

Quando fizer isso, provavelmente o seu ego vai dizer que nada aconteceu e que isso é imaginação.

Não perca a confiança nesse processo, o ego irá atrapalhar, mas se fizer com honestidade e com o nobre desejo de não carregar mais esse peso, aos poucos irá perceber que as coisas mudaram, algo está mais leve, a vida ficou um pouco melhor.

Isso é bem simples de fazer, é só não deixar o ego te dizer o que é possível ou não. Acredite, nada é estático, tudo é energia. O passado presente e futuro, é uma onda flutuando continuamente, vai e volta. Einstein foi o primeiro a falar isso.

Aprenda a perdoar | Ajuda para a Família

PRATIQUE QUATRO PASSOS PARA O PERDÃO

Passo 1: Declare o nome da pessoa que você precisa perdoar e a razão: Quero perdoar fulano por ter feito/ falado tal coisa.

A chave para o primeiro passo é simplesmente reconhecer que pretende perdoar alguém e reconhecer o motivo que lhe causa incomodo. Isso ajuda você a sair de qualquer tipo de negação sobre o que aconteceu e ir para um estado de espírito de aceitação e a partir daí, começar a fazer algo a respeito.

Passo 2: Reconheça como você atualmente se sente em relação a situação. É melhor que sejam os sentimentos mais honestos, não as coisas educadas ou legais que você pensa que deveria sentir.

Você precisa trabalhar com o que você realmente sente. Então, você expressa sua disposição de ao menos estar aberto à possibilidade de deixar esses sentimentos irem embora.

Não negue os sentimentos que surgirem, apenas aceite-os Pode surgir raiva, magoa, tristeza, dor, vontade de agredir a pessoa, de sumir do mapa”. Não esconda nada de si mesmo, sinta-os em toda sua força.  

 

Agora escolha libertar esses sentimentos ruins e substitua por outros mais leves e amorosos.

Se os seus sentimentos são vagos, descreva-os da melhor maneira possível neste momento, como por exemplo: Eu liberto esse tipo de sentimento de desespero, ou ainda Eu liberto esse tipo de sentimento obscuro.  Mesmo os sentimentos sendo vagos podem te levar a descobertas maravilhosas, por isso não deixe que a imprecisão dos seus sentimentos interrompa você.

Por exemplo: Eu agora escolho libertar meus sentimentos de me sentir enganado, raiva e frustração. Eu escolho me preencher com o sentimento de compreensão.

Passo 3: Declare os benefícios que você terá por perdoar, que por certo será o oposto do que sente atualmente. A tristeza se tornará felicidade, raiva se tornará paz, o peso se tornará uma sensação de leveza e assim por diante. Se você não tem certeza sobre os benefícios, basta escolher alguns bons sentimentos que gostaria de ter na sua vida, como felicidade, mais vontade, mais confiança, e tantos outros.

Declare, então: Eu reconheço que perdoar esta situação me beneficiará e assim me sentirei coisas/ sentimentos positivos que o perdão irá lhe trazer.

Passo 4: Comprometa-se a perdoar e, simplesmente, declare a sua intenção de perdoar. Declare a si mesmo quem é que você deseja perdoar e então reconheça os benefícios que o perdão trará para você. Geralmente, você terminará os Quatro Passos com algo parecido com isto:

Assim: Eu me comprometo a perdoar nome da pessoa e aceito a paz e a liberdade que o perdão traz.

Você pode não ter certeza de que você realmente quer perdoar, ter um monte de dúvidas, mas apenas experimente e veja o resultado.

Acredite, ainda que seja com apenas um pouco de vontade de experimentar, de estar aberto a explorar as possibilidades, ainda que muito timidamente, a prática do perdão pode trazer grandes resultados e benefícios a sua vida.

Reflexos da perversão do arrependimento e do perdão no Direito Penal GEN  Jurídico

Mantenha uma frequência do exercício:

Faça, pelo menos, por 21 dias. Se após esse período você avaliar que ainda não limpou por completo seus sentimentos negativos, então continue por quantos dias mais forem necessários. É bom que você tenha um horário pra fazer, ajuda a criar uma rotina. Seus sentimentos irão se alterando conforme praticar, então o que era raiva pode virar frustração.  E nesse caso você pode alterar sua declaração, substituindo essa palavra, até que tudo se torne apenas uma lembrança, não mais dolorida em sua mente.

Se você puder, faça essas declarações em voz alta. Somente na impossibilidade de declarar em voz alta você poderá fazer mentalmente. Pronunciar em voz alta é mais poderoso.

Depois de um tempo você pode sentir que não é mais necessário fazer todos os quatro passos.

Como parte de livrar-se de velhos sentimentos, você pode precisar fazer outros tipos de libertação emocional. Se for o caso, não hesite em pedir ajuda. Falar com amigos é sempre bom, mas lembre-se, que ele não talvez ele não tenha a orientação mais adequada, porque pode sim, não agir com imparcialidade. O que é muito natural e compreensível.  Um profissional preparado poderá olhar a situação de forma imparcial e orientar com mais clareza.

Se precisar, busque o apoio se necessário, mas não adie por muito tempo a decisão de se libertar do fardo que lhe pesa nos ombros.

Se você acredita em um poder espiritual mais elevado, é natural que você queira que ele faça parte de seu processo de Perdão. Simplesmente adicione uma frase no final, como: “Peço a ajuda de Deus para perdoar e me tornar livre”

Um pouquinho sobre mim

Depois de atravessar uma fase muito delicada, em todos os setores meu viver, a vida me deu uma grande chacoalhada do tipo: acorda, você tem muito potencial para viver na invisibilidade.

Por fim, depois de uma faxina muito grande na minha pessoa, e de decisões difíceis e doloridas mas, absurdamente necessárias, surgiu uma nova mulher chamada Lairce.

Uma mulher que resolveu reinventar-se aos cinquenta e seis anos de idade, física, mental e psicologicamente. Uma mulher que aprendeu que priorizar a necessidade de ser feliz, não é egoísmo, é vida!

Conto um pouquinho desses sentimentos malucos que tomaram conta de minha mente, nesta matéria que está aqui no blog https://laircecardoso.com.br/pedacos-da-vida/a-coragem-de-ser-imperfeita/

Ajustando o meu propósito de vida

Atualmente sou Terapeuta Complementar e Consteladora Sistêmica e trabalho tanto com crianças e adolescentes quanto com adultos. Como terapeuta meu principal objetivo é contribuir com a melhora comportamental, auxiliando o paciente a encontrar o caminho do autocuidado e autoconhecimento.

Então, se você se percebe que deve dar mais atenção a sua saúde mental e emocional de um modo geral, saiba que a terapia sistêmica é um grande apoio.

Especialmente nos processos de autoconhecimento, a terapia poderá te ajudar a ter mais consciência sobre suas questões que causam sofrimentos, recuperando assim seu bem estar, auto estima e, até mesmo o resgate de si mesmo.

Ademais, contar com ajuda de um profissional não é sinal de fraqueza, portanto, se você passa por alguma situação difícil neste momento, não se faz necessário passar por tudo sozinho(a).

Além disso, a ajuda de um profissional qualificado, poderá te ajudar a atravessar esse processo de maneira mais leve.

Por isso, dê-me a oportunidade de mostrar como a Terapia Sistêmica poderá ajudá-lo nos diversos seguimentos de sua vida. Agende um horário e venha tomar um café comigo, é provável que aqui você se liberte de suas amarras.

PARA MAIS DICAS SIGA-ME NO INSTAGRAM: http://instagram.com/lairce_cardoso_ofc

Sobre o Autor: Lairce Cardoso

|

Nasci no berço da família Cardoso, na cidade de Paranapuã, no interior de SP no dia 15 de Julho de 1.963. Sou a nona filha do Senhor Libério e da Dona Lindaura.

Deixe uma mensagem

Qual o seu nome?
Preencha com um e-mail válido
O seu endereço de e-mail não será publicado
Digite uma mensagem :)