Blog Lairce Cardoso

Lairce Cardoso

A ADOLESCÊNCIA É UM SEGUNDO PARTO

15 de outubro

A adolescência é um segundo parto: nascer da família para andar sozinho na sociedade.” Içami Tiba

Pais de adolescentes…

Nesses últimos tempos, na nossa jornada como pais, eu e meu marido sentimos como se estivéssemos agarrados às rédeas de um cavalo desgovernado, empunhando nossas lanças para travar as batalhas diárias com o nosso filho adolescente.

Ao passo que as conversas afetuosas e risadas ao redor da nossa mesa de refeição, deram lugar aos acordos incessantes sobre o horário de ir dormir, de jogos e de estudos,  ao mesmo tempo as negociações sem fim, em torno de limites reprovados, mas acima de tudo, absolutamente necessários, se tornaram constantes.

 Por vezes, lamentamos a perda nessa confusa peleja, à medida que ficávamos procurando as palavras e atitudes mais acertadas, para restaurar a vida em família, antes que se assemelhava à uma zona de guerra.

Desesperadamente buscávamos manter o equilíbrio contra a pressão alimentada por hormônios e, enquanto buscávamos uma maneira mais racional de conciliar a necessidade de viver em isolamento social para esses seres famintos pelo convívio social, para afrouxar os níveis de insanidade em casa.

Por fim, foi preciso muito jogo de cintura para amenizar a pressão de iminentes decisões, desde escola nova, até a concessão de desejos inesgotáveis e pedidos inusitados, como uma lista escrita ao Papai Noel sem limitação. Isso se tornou num exercício diário, totalmente desgastante.

Dobrar os joelhos por nossos filhos

Em outras palavras a revelação de tantos dilemas, propícios dessa fase de idade, nos conduziu a ficarmos de joelhos. E num momento em que a oração deveria ser a minha fortaleza, me vi diante das minhas fraquezas e como mãe meu coração bateu descompassado.

E, foi então que resolvi mergulhar nesse mundo, chamado adolescência, e nessa imersão compreendi que atualmente, ser adolescente é uma fase muito mais complexa que na minha época, graças ao aumento desenfreado da urbanização, da tecnologia sofisticada, do alto nível de informação, do núcleo familiar modificado, da solidão urbana, da violência, da evolução cultural, econômica e social.

Assim, como eu, tenho certeza que muitos de vocês já devem ter concordado e até opinado naqueles textos longos das redes sociais, que é um desabafo que no nosso tempo éramos assim ou assado e que os jovens de hoje são assim ou assado. ok. São diferentes mesmo. Parei , inclusive de achar que eles batem fora do bumbo. Na verdade, eles estão no ritmos da atualidade em que vivem. Nós é que insistimos em tocar nosso bumbo na mesma melodia de outrora, quando a música já mudou de ritmo há muito tempo.

Os adolescentes mudaram

Em outras palavras a adolescência de hoje está sim, muito mudada, e obviamente diferente da juventude dos tempos passados, mesmo porque a mudança ocorreu até com o mundo. Nada é do jeito que já foi , como bem previu Lulu Santos, e nada do que foi será do jeito que já foi um dia. Sendo assim não é de se estranhar que os adolescentes também mudassem o seu jeito de ser.

Como resolver esse impasse? Felizmente já descobri há um certo tempo, que não existem fórmulas mágicas para nada neste mundo. Existe a fórmula que cada família cria para enfrentar essa tribulação. Assim, sendo o único jeito de restabelecer a concórdia é botar a mão na massa e trabalhar em prol de juntos, resolver esse quebra-cabeça.

E, então eu me rendi, embora não tenha me tornado refém, e foi então que aprendi, através do amor que sinto pelo meu filho, a olhar além de sua aparência, de suas inquietações e esquisitices. Aprendi ir além do que eu espero, mas do que ele precisa. Compreendi a aceitar além do que eu quero, e acima de tudo respeitar o que ele quer para si mesmo.

A ficha caiu! O meu papel como progenitora não é trilhar os caminhos por ele, mas sim orientá-los a trilhar seus próprios caminhos.

Oração da panela de pressão

E, nesses momentos de busca que ao dobrar os meus joelhos, conheci essa incrível oração do livro “Jesús a mi alma”, de Pe. Guillermo Serra, que eu carinhosamente batizei como oração da “panela de pressão”. Porque era assim que estava me sentindo, como se estivesse numa panela de pressão, prestes a explodir.

Se puder contribuir com seu momento, use-a. Me trouxe de volta à realidade mediante alguns momentos de incertezas e de dor.

Senhor, tenho um filho adolescente e te peço por ele, para que ele te chame nas horas de solidão e necessidade, para que eu saiba entendê-lo e que ele não seja um enigma para si mesmo nem para mim.

Que eu saiba compreender suas risadas, suas mudanças de humor e suas irritações.

A interpretar e acompanhar suas covardias, ambições, seus amores e rancores.

Que eu seja luz e exemplo, companhia e segurança, estabelecendo

os limites com firmeza, sabendo a hora de lhe dar asas para construir lentamente seu destino.

Dá-me um coração cheio de amor  para dar sem medida.

Dá-me Tua luz, Tua graça, Teu amor. Eu preciso de tudo isso.

Para clarear o caminho, o futuro  e ajudá-lo a descobrir suas possibilidades e limitações, para que cresça com asas seguras e coração disposto a ser valente,  para amar e ser responsável pela sua vida e a de quem estiver ao seu lado.

Dá-me forças, Senhor, para ver meus filhos crescerem e sustentá-los com uma mão forte. 

Até que eu dia… Eles possam levantar seus voos.

Amém.

Veja também: https://laircecardoso.com.br/cartas-de-amor/meu-jeito-de-dizer-eu-te-amo/

 Siga-me no http://@lairce_cardoso_ofc

Sobre o Autor: Lairce Cardoso
Lairce Cardoso

|

Nasci no berço da família Cardoso, na cidade de Paranapuã, no interior de SP no dia 15 de Julho de 1.963. Sou a nona filha do Senhor Libério e da Dona Lindaura.

Deixe uma mensagem

Qual o seu nome?
Preencha com um e-mail válido
O seu endereço de e-mail não será publicado
Digite uma mensagem :)