Blog Lairce Cardoso

Lairce Cardoso

O EMOCIONAL DA OBESIDADE

17 de fevereiro

Pela definição da Organização Mundial da Saúde, a obesidade é o excesso de gordura corporal, em quantidade que determina prejuízos à saúde.

Obesidade na adolescência pode causar problemas emocionais - Jornal O ECO

Infelizmente, talvez por falta de conhecimento, existe uma cultura de que os cuidados com o corpo é apenas vaidade, mas, cuidar da físico não é somente uma questão de estética, e sim, uma questão de saúde.

Ademais tanto a ciência quanto a psicologia tem demonstrado, a cada dia, que a ligação entre a estética e a saúde, fortalece a pessoa.

Manter sua autoestima elevada é questão fundamental para a saúde, porque equilibra, inclusive sua saúde mental e emocional. Saber apreciar suas qualidades, seus pontos fortes, suas características positivas fortalece a confiança da pessoa, porque traz à luz a visão correta de si mesmo.

E para ter uma boa autoestima é necessário, em primeiro lugar, gostar de si mesmo e se amar. É isso que está por trás da expressão “Quem ama, cuida”: o amor próprio, pois quem se ama também se cuida.

Auto cuidado um bem necessário

Praticar o autocuidado, é investir tempo em si mesmo, por isso essas pessoas tendem a ter uma autoestima mais elevada. Então, cuidar do físico com esse propósito oferece resultados positivos e visíveis.

Aparência realmente não é tudo! Mas uma boa percepção de si mesmo em frente ao espelho é muito significativo e, faz toda a diferença.

O sobrepeso, levando a pessoa à obesidade é um problema enfrentado por um número cada vez maior de pessoas em todo mundo. Aliás, não são só os adultos sofrem com essa questão, mas também as crianças. O índice de obesidade infantil, nos últimos tempos, é bem alarmante.

É claro que os maus hábitos de vida como o sedentarismo e a má alimentação, contribuem para esse quadro, mas, meu foco aqui é falar do lado emocional. Mesmo porque o emocional desequilibrado, também contribui com os maus hábitos, tanto alimentares quanto os hábitos ruins de falta de cuidados consigo mesmo.

Todo excesso pede uma compensação

Obesidade infantil: causas, prevenção e tratamentos - Nasce Saúde

Primeiro, saliento que a gordura em excesso é compensação de alguma fata, pois todo atrás de todo excesso existe uma falta a ser compensada.

Na natureza vemos alguns animais com índice de gordura corporal bem mais elevado que outros, mas não se trata de obesidade, mas de uma adequação da própria natureza por uma questão de sobrevivência e adaptação ao ambiente. A gordura os ajuda a se protegerem do frio, a armazenarem mais energia em circunstâncias de escassez alimentícia e a terem mais resistência no ecossistema em que vivem.

Nos humanos a gordura em excesso não tem razão de ser, pelo contrário, é muito prejudicial e cria muitos problemas de saúde, e o emocional não fica de fora disso.

Como disse, todo excesso esconde uma falta, portanto a gordura excessiva, pode ser uma resposta a alguma dificuldade de lidar com suas emoções e isso tem várias causas.

Vou citar algumas questões a serem observadas, que podem ser observadas no seu comportamento, na busca de seu autoconhecimento.  

Autoproteção e bloqueios emocionais

Essa questão é uma das mais gritantes. Pessoas que sofreram traumas, decepções, bullyings, se aprisionarem em si mesmas com medo de sofrer mais decepções e consequentemente aumentar o sofrimento. São nesses momentos que buscam saciar sua frustação na comida. É aí que surge a fome emocional.

A gordura passa a ser uma espécie de proteção corporal, a vulnerabilidade emocional faz com que a mente cria esses escudos como forma de proteger das agressões externas. Na fuga de si mesmo, na incapacidade de solucionar seus conflitos e sentimentos mal resolvidos, e na tentativa de fortalecer suas fraquezas, busca a solução escondendo sobre a gordura excessiva no corpo.

O controle excessivo sobre suas ações impede que sua essência dê vazão a sua energia criativa. A energia criativa precisa se expressar livremente, para deixar aflorar sua criatividade.  Quando acumulada, reprimida, negligenciada, causa um estado profundo de frustração e insatisfação com a vida.

Transtorno do desejo sexual hipoativo - Dra. Monica Cabral

Repressão dos Sentimentos

E onde se materializa isso? Principalmente na região abdominal, por causa do plexo solar, que é onde está ligado nosso poder criativo.  Neste caso, além de comprometer a saúde física inibe a energia sexual, gerando outras disfunções e anomalias.

Engana-se que acredita que isso não é prejudicial. Sexualidade é a expressão do Ser, liberdade.

Não estou dizendo meramente do ato sexual, mas sim da repressão de sua essência sexual. A repressão de si mesmo, pode causar muitos distúrbios de obesidade abdominal, além de outras deformações no corpo físico.

Vaidade moral

É uma agressão terrível querer ser algo que é, por causa da necessidade da aprovação alheia e convenções sociais. Deixamos de viver conforme nossos desejos e propósitos para entrar nos compassos alheios. Com isso, é fatal: nossa energia não flui corretamente.

O que acontece com essa energia presa, ensacada? Transforma-se em pesos, em excessos que automaticamente exige uma compensação, como o excesso de gordura pelo corpo, por exemplo.

Essas compensações através da gordura, busca áreas específicas de afetos e emoções, como a região dos seios (ternura da alma), pernas (instrumento de movimentação) e abdômen (emoções).

É preguiça mesmo?

De novo, quando a energia que nos movimenta é acumulada e negligenciada, cria comportamentos abusivos contra si mesmo.  É muito comum, ao represar a energia que te movimenta, criar acúmulo de gordura, exatamente nas áreas que possibilita os movimentos, ou seja nas pernas.

É bem possível que essa pessoa tenha sofrido repressões no sentido de se lançar na vida. Isso pode acontecer por causa dos padrões de comportamento vividos em seu Sistema Familiar. Usamos as pernas e pés para nos movimentar fisicamente, ou seja, quando não queremos nos movimentar, criar, produzir, ir em frente e enfrentar desafios, traz irregularidades na região do corpo responsáveis por esses movimentos. Entre tantas irregularidades pode estar a obesidade.  

E, quando a pessoa não conseguiu superar todas as dificuldades e caiu nas armadilhas do acúmulo de gordura e se tornou obesa? Aí há outras situações graves a serem consideradas e tratadas com a ajuda profissional, para se livrar dessas questões e ter condições de tomar a vida para si e voltar ao seu eixo.

Rejeição- Eita medo danado

Muito comum entre pessoas que estão acima do peso. O receio de serem rejeitados não somente pelo parceiro, como também pelos amigos, filhos ou pessoas muito próximas traz muita dor e sofrimento.

Tudo começa porque, com a sua autoimagem extremamente a própria pessoa, passa a rejeitar a imagem que vê no espelho, e portanto alimenta a crença de rejeição, portanto passa a acreditar que será rejeitada por todos. Muitas vezes é tão forte isso na pessoa que ela acaba se excluindo do meio onde vive e, seus hábitos afasta os entes queridos de si mesmo.

Sem dúvida o lado sentimental é muito mais doloroso do que as questões ligadas à saúde física.

Minha culpa, minha máxima culpa

A obesidade está ligada diretamente ao emocional

Frequentemente a pessoa obesa culpa a si mesma por não conseguir emagrecer. Acreditam que não são capazes de deixar um determinado carboidrato de lado ou de ter comido demais em uma única refeição.

Infelizmente, também por vezes, essa é a única orientação recebida, porém ressalto que, em muitos casos as pessoas não conseguem emagrecer, porque é preciso tratar da mente antes do corpo, do emocional antes do físico.

Não tem como tratar de uma questão, muitas vezes enraizadas no seu interior, olhando só para o externo. É preciso olhar para a raiz da questão. Caso contrário é como passar pomadinha num machucado, antes de limpá-lo adequadamente, só vai piorar a situação.

A emoção de se fartar

Como são feitas as suas escolhas alimentares: pela razão ou pela emoção? Quem nunca, se pegou comendo alguma besteira para compensar algum estresse, ou algo que deu errado durante o seu dia?  

Isso é escolher sua comida pela emoção. E não vamos nos crucificar se isso acontece uma vez ou outro. Torna-se problema quando de algum modo, continuamente as carências emocionais passam a ser supridas pela comida. Como se a comida fosse a recompensa por uma expectativa frustrada. Aí é que mora o perigo.

Por isso, se você não está se sentindo bem com você mesmo, não ignore esse fato. Se não consegue sentir bem na sua própria companhia, muito dificilmente conseguirá ter bons momentos com quem você ama, seja por vergonha do seu corpo ou por acreditar que não é capaz ou merecedora de ser feliz.

Não hesite em buscar ajuda, cuide de seu emocional, o autoconhecimento e a boa vontade em gerenciar a si mesmo positivamente é sem dúvida, a maneira mais eficaz e necessária para manter uma boa saúde e se livrar de problemas como a obesidade.

Até porque, uma pessoa equilibrada emocionalmente, se ama acima de tudo e de todos, por isso ela busca manter os cuidados tanto interiormente quanto externamente.

Ou seja, os hábitos com os cuidados internos também estenderá para os cuidados externos, assim os hábitos de vida saudáveis, deixa de ser só uma questão de estética e passa a ser uma questão de amor por si mesmo.

 Porque o que se faz dentro é refletido fora, inevitavelmente.

Um pouquinho sobre mim

Depois de atravessar uma fase muito delicada, em todos os setores meu viver, a vida me deu uma grande chacoalhada do tipo: acorda, você tem muito potencial para viver na invisibilidade.

Por fim, depois de uma faxina muito grande na minha pessoa, e de decisões difíceis e doloridas mas, absurdamente necessárias, surgiu uma nova mulher chamada Lairce.

Uma mulher que resolveu reinventar-se aos cinquenta e seis anos de idade, física, mental e psicologicamente.

Uma mulher que aprendeu que priorizar a necessidade de ser feliz, não é egoísmo, é vida!

Conto um pouquinho desses sentimentos malucos que tomaram conta de minha mente, nesta matéria que está aqui no blog https://laircecardoso.com.br/pedacos-da-vida/a-coragem-de-ser-imperfeita/

Ajustando o meu propósito de vida

Atualmente sou Terapeuta Complementar e Consteladora Sistêmica e trabalho tanto com crianças e adolescentes quanto com adultos.

Como terapeuta meu principal objetivo é contribuir com a melhora comportamental, auxiliando o paciente a encontrar o caminho do autocuidado e autoconhecimento.

Então, se você se percebe que deve dar mais atenção a sua saúde mental e emocional de um modo geral, saiba que a terapia sistêmica é um grande apoio.

Especialmente nos processos de autoconhecimento, a terapia poderá te ajudar a ter mais consciência sobre suas questões que causam sofrimentos, recuperando assim seu bem estar, auto estima e, até mesmo o resgate de si mesmo.

Ademais, contar com ajuda de um profissional não é sinal de fraqueza.

Portanto, se você passa por alguma situação difícil neste momento, não se faz necessário passar por tudo sozinho(a).

Além disso, a ajuda de um profissional qualificado, poderá te ajudar a atravessar esse processo de maneira mais leve.

Por isso, dê-me a oportunidade de mostrar como a Terapia Sistêmica poderá ajudá-lo nos diversos seguimentos de sua vida.

Agende um horário e venha tomar um café comigo, é provável que aqui você se liberte de suas amarras.

PARA MAIS DICAS SIGA-ME NO INSTAGRAM: http://instagram.com/lairce_cardoso_ofc

Sobre o Autor: Lairce Cardoso

|

Nasci no berço da família Cardoso, na cidade de Paranapuã, no interior de SP no dia 15 de Julho de 1.963. Sou a nona filha do Senhor Libério e da Dona Lindaura.

Deixe uma mensagem

Qual o seu nome?
Preencha com um e-mail válido
O seu endereço de e-mail não será publicado
Digite uma mensagem :)