Blog Lairce Cardoso

Lairce Cardoso

ESPELHO ESPELHO MEU

25 de dezembro

Espelho, espelho meu. Se você pensa que essa expressão acontece só no conto de fadas da Branca de Neve está muito enganado. A mãe da Giovanna que o diga.

Imagina um fim de semana com uma programação a mil. Pois bem o fato ocorrido num fim de semana desses.

No domingo, por volta das vinte e uma horas e trinta minutos, encerrando o badalado fim de semana, estávamos nos preparando para o merecido repouso.

—Giovana já pro banho! Ordenei depois de vários pedidos amistosos.

E lá foi ela  se arrastando com aquela cara de “estou acabada” e depois de horas intermináveis saiu do banheiro, ainda naquela leseira, se arrastando de novo para a sala.

Conhecedora que sou da minha filha  perguntei:

– Escovou os dentinhos? Claro que não havia escovado. E lá foi ela de volta se arrastando ao banheiro para escovar os dentes e ficou por lá uns dez minutos.

Entretida que estava com as minhas tarefas até me esquecia dela e quando me dei conta, mediante a demora, achei que havia adormecido no banheiro.

Chamei-a algumas vezes e quando ela abriu a porta veio a grande surpresa.

Saiu com a mãozinha em cima da sobrancelha do lado direito eu fiquei estarrecida no lugar olhando pra ela, imaginando o teria acontecido, pois aquele ar de suspense em sua cara indicava que por trás daquele gesto não tinha coisa boa.

Depois de um longo minuto a me encarar, talvez escolhendo as palavras para dar a notícia, de repente ela retirou a mãozinha de cima da sobrancelha e abrindo um sorissão, disse:

– Olhá mamãe que eu fiz. Não ficou legal? 

Minhas pernas tremeram, perdi a respiração e quase enfartei!

Ela tinha raspado a sobrancelha inteira do lado direito com o aparelho de barbear do pai. Fiquei desesperada, primeiro porque fiquei imaginando-a em frente ao espelho aprontando a arte e ela poderia ter se machucado com o bendito aparelho e depois porque minha cabeça de mãe surtada já começou a pensar na manhã seguinte.

– Meu Deus como vou mandá-la para a escola amanhã?

Imediatamente já imaginei a zoeira das outras crianças e isso não vai prestar. Como pode um serzinho que mal parava em pé de tanto cansaço e sono ainda ter vitalidade para aprontar uma dessas? Aquilo foi de matar.

Liguei para minha mãe para ver se tinha alguma ideia pra me ajudar e ela caiu na gargalhada. Riu tanto que me deixou ainda mais nervosa, e claro não me deu nenhuma ideia.

Na manhã seguinte a única solução foi desenhar a sobrancelha com um lápis de olho.  Ela nem ligou, pelo contrário, achou o máximo e completamente desencanada foi para a escola.

Acontece que nenhuma criança, e muito menos a minha filha, ficaria quietinha para aquele lápis não desbotar, portanto depois de muito pular, lavou o rosto suado e mandou pelo ralo da sobrancelha cuidadosamente desenhada.

No fim do dia chegou em casa sem nenhum resquício de preocupação ou sofrimento. Sinceramente eu nem perguntei o que tinha acontecido quando as outras crianças viram a sua arte, porque pra ele estava tudo resolvido, então que assim fosse.

Se engana quem pensa que, embora desencanada, ela não seja vaidosa. Adora arrumar a cabeleira que Deus lhe deu, passar batom, pintar as unhas e passar perfume.

Faz as poses mais inusitadas para as fotos e tudo que tem brilho é seu desejo de consumo, mas se debulha em lágrimas quando algo não fica a seu contento.

Então não seria uma sobrancelha que iria afetar seu humor. Tava tudo bem.

Essa é a minha Giovanna. Companheira, feliz e ligada no 220 wats.

Como é bom ser criança e não precisar se preocupar como será julgado por ninguém, tampouco pela sociedade. E é justamente por isso que os danadinhos são especialistas em aprontar peraltices e esquisitices.

As crianças nos deixam doidas, é bem verdade, assim como nós já deixamos nossos pais no passado. Quantas saudades!

Por isso mesmo que o melhor é aproveitar cada minutinho com os nossos pimpolhos, porque esses momentos não voltam nunca mais, mas as suas lembranças, essas sim, serão eternas em nossas vidas.

Do livro Coisas das Nossas Crianças

Veja também – A princesa protetora dos animais https://www.laircecardoso.com.br/familia-cardoso/a-princesa-protetora-dos-animais/

Sobre o Autor: Lairce Cardoso
Lairce Cardoso

|

Nasci no berço da família Cardoso, na cidade de Paranapuã, no interior de SP no dia 15 de Julho de 1.963. Sou a nona filha do Senhor Libério e da Dona Lindaura.

Comentários (2)

Alexandra Cosmo Responder

Que lindooo La… minha pequena, amor maior não há. Minha amiga e companheira de vários momentos. Filhos nossa melhor parte. Nos traz muitas alegrias e aprendizados. Impossível mensurar o amor que sentimos. Cada sorriso, cada lágrima, cada descoberta é o que nos motiva e nos fortalece em nossa caminhada. Obrigada La pelo carinho e sensibilidade em transcrever essa história. Ficou linda. Bjss e sucesso ?

26 de dezembro de 2019 at 09:39
Alex Responder

Que lindo irmã. Nossa como minha sobrinha ta linda e grande .
Amo vocês.

26 de dezembro de 2019 at 10:57

Deixe uma mensagem

Qual o seu nome?
Preencha com um e-mail válido
O seu endereço de e-mail não será publicado
Digite uma mensagem :)